REFÚGIO DO HÓSPEDE

Sobre o projeto

A apreciação do despojamento é representada por meio da estética que valoriza o rustico, o imperfeito, o monocromático e o aspecto natural, interligado ao conceito wabi-sabi, que encontra sua base nos ideais zen budista.
O ambiente traz aberturas que fazem ligação do externo com o interno, deixando a luz e o verde entrar, lembrando que queremos ser cuidados, regados e abraçados pela nova concepção de casa.
Nesse diálogo dos mobiliário atemporais com os novos contemporâneos fica claro que poucos e bons é o que nos importa. Livrar-se dos excessos e aceitar que não é necessário a ‘combinação’, desde que o resultado seja harmônico e faça sentido ao usuário.

A nova concepção do morar. A casa vira quase que um abrigo, um lugar espiritualizado longe do caos, no qual a natureza é essencial, ou até mesmo um refúgio na natureza.... A entrada de luz natural, através dos grandes vãos traz também o contato com as plantas e a água... que pode não só ser vista mas sentida de perto...

O banheiro é cuidado de modo que ele seja um lugar especial... neste caso ele é quase que um santuário... onde o banho é feito em meio a água, junto ao verde e em contato com as texturas – piso de mármore rustico, tijolo pintado, paredes com textura e a taipa que por si só nos remete a nossa essência, e se tornam protagonistas mas de forma sutil.
A escolha em Isolar a bacia sanitária do todo foi trazer a esse momento qualidade visual, pois está em frente ao verde, com conforto e tranquilidade.

“Esse projeto traduz minha essência, é o respeito e o entendimento daquilo que eu sou e o que eu faço quando entro na casa das pessoas. Entender a vida de cada um, se adentrar do mundo, valorizar o que se tem de melhor e mais que isso, fazê-lo de modo que se sinta abraçado pelo seu lar.''

Tipo de projeto

mostra

Ano

2018

Área

90m²

Localização

Campinas - SP

Colaboradores

Leticia Ruiz

Fotos

Ruy Teixeira